Universidade corporativa em home office: como treinar novos colaboradores

Com a pandemia, muitas empresas precisaram se adequar aos novos métodos de trabalho por conta do isolamento social. De acordo com levantamento realizado pela Fundação Instituto de Administração (FIA), 46% das instituições entrevistadas adotaram o sistema home office neste período

Esse mesmo levantamento nos revela que 55% dos gestores desejam continuar com o trabalho remoto após a crise.

Com essa popularidade, o home office provocou uma grande aceleração da transformação digital nas empresas.

Processos de inovação que aconteceriam dentro de alguns meses, tiveram que ser implementados de uma hora para outra com o objetivo de proteger funcionários e parceiros de negócios, assim como adequar a empresa às necessidades do mercado.

E a Universidade Corporativa (UC) foi uma delas! 

O que são as Universidades Corporativas?

Universidades corporativas são sistemas de ensino cuja criação e desenvolvimento têm vinculação com uma empresa, seja ela pública ou privada.

Ou seja, mais do que uma entidade destinada ao ensino geral, essa é uma ferramenta estratégica do negócio e que atende aos seus objetivos.

Dessa forma, acaba sendo utilizada para o aperfeiçoamento profissional dos colaboradores, de modo que a sua evolução reverta em benefícios à própria empresa.

Entre as abordagens, está o desenvolvimento de competências necessárias para a realização de atividades profissionais relacionadas ao dia a dia da empresa, de modo que funcionários possam atuar com excelência e que darão sustentação para as competências estratégicas da organização.

O que se espera de uma universidade corporativa?

Entre as principais funções de uma universidade corporativa, podemos citar:

  • Incentivar o aprendizado para que a equipe consiga ajudar a cumprir as metas
  • Estimular as competências requeridas no dia a dia
  • Aumentar as vantagens competitivas
  • Desenvolver novos talentos
  • Estimular um clima corporativo mais saudável
  • Reter bons profissionais
  • Maior aderência aos objetivos específicos da empresa.

Mas então, como montar um treinamento corporativo em tempos de home office?

No escritório, organizar um treinamento parece mais simples. Afinal, basta preparar o conteúdo, colocar todos os participantes em uma sala e explanar o que deseja ser ensinado.

No mundo virtual não funciona assim. Adotar a educação corporativa necessita de planejamento, ferramentas apropriadas e táticas de engajamento desses colaboradores.

Para te ajudar nesse processo, preparamos algumas dicas. Confira:

1. Entenda a rotina dos seus colaboradores

Muitas vezes, as organizações não conseguem aplicar treinamentos efetivos por não compreenderem e, muito menos, respeitarem a rotina de seus colaboradores.

Portanto, entenda como funciona o cotidiano da sua equipe, verifique as datas de fechamentos, em que, geralmente, o tempo é mais curto e corrido, assim como se atente aos períodos de descanso do time.

Com isso, é possível planejar treinamentos corporativos em momentos apropriados que, com toda certeza, contarão com a participação de mais pessoas.

2. Identifique as principais necessidades na equipe

Ou seja, é preciso saber as dificuldades dos colaboradores em relação a processos, inovações ou, até mesmo, as próprias ferramentas utilizadas.

Analise também o cenário atual da sua empresa, entendendo quais são seus objetivos e quais são as habilidades que você e o seu time precisam desenvolver para alcançar esses resultados.

3. Entenda as expectativas de crescimento dos funcionários

Quando os gestores começam a pesquisar sobre como montar um treinamento corporativo, frequentemente, esbarram em um desafio em comum: entender as expectativas de cada funcionário.

É preciso alinhar esses objetivos às necessidades da empresa, de modo a garantir que os colaboradores se desenvolvam e assumam novos cargos que sejam do interesse deles.

Nesse sentido, é preciso criar um plano de desenvolvimento individual, em que são mapeadas as principais dificuldades de cada colaborador, suas aspirações dentro da empresa e as ações necessárias para alcançá-las.

Com isso, é possível, por exemplo, elaborar um programa de capacitação de novos líderes ou planejar o desenvolvimento de habilidades para projetos específicos.

4. Faça um planejamento

Com todas as informações levantadas nos tópicos anteriores, é momento de fazer um planejamento. Nessa altura, defina qual será o tema do treinamento, profissionais envolvidos e tempo de aprendizagem.

Além disso, comece a construção dos conteúdos que serão apresentados aos colaboradores. O ideal é sempre produzir materiais em mais de um formato, como e-books, vídeos e áudios, especialmente em tempos de home office, que exige flexibilidade.

5. Conte com a tecnologia

Por fim, o mercado educacional oferece diversas possibilidades para apoiar o desenvolvimento profissional, como ferramentas especializadas, que permitem a implementação de metodologias de aprendizagem e acompanhamento dos colaboradores.

Nesse cenário, não subestime o poder da tecnologia para revolucionar seus treinamentos e maximizar o engajamento do seu time, assim como provocar uma boa experiência e fortalecer aspectos como motivação e retenção de talentos.

A Plantar Educação é um sistema de gestão da aprendizagem que permite a criação de cursos e treinamentos online.

Com um layout intuitivo e responsivo, a plataforma se adequa a qualquer dispositivo. Além disso, possui robustas possibilidades de personalização, que valorizam a experiência dos colaboradores durante os treinamentos.

Por sua vez, conta com completos indicadores de desempenho, que facilitam o acompanhamento do time por parte dos líderes.

Em linhas gerais, uma Universidade Corporativa, além de contribuir para a capacitação de pessoas, também será uma forma de consolidar a cultura empresarial e educacional existente e levar o aprendizado interno a outro patamar, principalmente nesse momento em que muitas empresas se viram obrigadas a aderir ao home office. 

+ posts

Pai, filho, educador e apaixonado por inovação!
Graduado em Gestão de Tecnologia da Informação com MBA em Liderança e Gestão Empresarial. Já são mais de 20 anos com atuação em empresas ligadas ao Agronegócio nas áreas de gestão, consultoria e educação corporativa.

Matérias relacionadas

Deixar comentario